Barretos E.C. defende apoio aos clubes tradicionais e aguarda FPF sobre definição de vaga na A2

itamar 1

Foto – Luisão,  Roberval,
Deputado Itamar Borges,
Tijolinho,  ex-prefeito de Jaborandi e
Rene, da Prefeitura de Colina

Faltando um mês para a realização do Conselho Arbitral do Campeonato Paulista das Séries A1, A2 e A3, a Federação Paulista de Futebol, ainda não tem um posicionamento oficial sobre a definição quanto a vaga na Série A2 em 2020, na competição. Pensando no planejamento do clube, o Barretos Esporte Clube, aguarda uma definição da entidade máxima do futebol paulista.
De acordo com o gerente de futebol do Barretos Esporte Clube, Luis Eduardo Cortillazzi, “Luisão”, a falta de um posicionamento sobre a terceira vaga de forma oficial na Série A2 de 2020, está gerando transtornos as equipes envolvidas e se tornando conivente ao clube do Red Bull que hoje tem fusão com o Bragantino no Campeonato Brasileiro, e protela em dar uma definição sobre o seu posicionamento quanto ao futuro profissional do clube no Campeonato Paulista.
Para o dirigente do BEC, a falta desta cobrança por parte da FPF, está possibilitando ao Red Bull buscar brecha no regulamento para pleitear a Série A2, no próximo ano. “Se isso acontecer, além de infringir os regulamentos, também será lamentável a falta de ética e moral para com os times filiados que lutam há anos nas divisões paulistas, levando assim uma violação a Lei Pelé e um ato de falta de ética profissional com as equipes do Água Santa e Barretos que trabalham sem uma definição oficial da FPF”, afirmou Luisão.
Segundo Luisão, o Barretos Esporte Clube vem trabalhando em um planejamento para a disputa da Série A2, e por ser a equipe terceira colocada na temporada 2019 do Paulistão Série A3 e por direito é dona da vaga de acesso, contudo caso não venha ser concretizado o acesso, estará sendo comprovado um monopólio no futebol paulista, onde se contempla a equipe adquiriu outra na mesma divisão, infringindo claramente a Lei Pelé. “Essa atitude causa um mal estar não só nos profissionais do futebol, mas sim a uma cidade com mais de 120 mil habitantes e uma região com 500 mil habitantes e que sonha ver grandes equipes atuando em seus estádios” , afirmou Luisão.
Pionerismo
Em seus 59 anos de existência, o Barretos Esporte Clube, que surgiu da fusão das equipes do Barretos Futebol Clube (1915) e Fortaleza Esporte Clube (1936), é um clube que nunca se ausentou das competições da Federação Paulista de Futebol, sendo um dos fundadores da Lei do Acesso, reivindica a manutenção do futebol tradicional no Estado de São Paulo, priorizando os clubes que tem camisa, torcida, história e tradição no futebol paulista. “Defendemos os times fortes do interior paulista, com as suas grandes equipes e público nos estádios. Hoje nesse cenário atual, verificamos apoio aos clubes empresa, que estão querendo monopolizar o futebol paulista, só visando o comércio e quem tem mais recursos financeiros e sem ter acessos dentro das quatro linhas”, ressaltou o presidente do Barretos E.C., Roberval Moraes da Silva.
Para o presidente do Touro do Vale, a expectativa de sua diretoria, é para que haja o bom senso da FPF para com o Barretos, que é um clube que participou desde a lei do acesso sem deixar nenhum ano sem disputar as competições e por ter uma cidade apaixonada por futebol e que vive a expectativa de disputar a Série A2 em 2020. “Não tendo um posicionamento sobre a competição a ser disputada, prejudica muito o planejamento do clube”, afirmou Roberval Moraes da Silva. Posição O Barretos Esporte Clube aguarda um posicionamento da FPF nesta semana sobre as vagas na A1 e A2.